Twittando‏

Tenho o hábito de ligar meu PC de manhã, e abrir todos os jornais eletrônicos possíveis, como já disse aqui “ávidos por novidades” e hoje me deparei com uma notícia que me deixou de veras feliz: Rafinha Bastos (Brasileiro e apresentador do CQC) considerado uma das pessoas mais influentes do Twitter pelo jornal New York Times, e como todos sabem se o twitter fosse um país ele teria 105 milhões de habitantes e o Rafinha Bastos seria, bem, o Presidente do Mundo.
Vamos entender essa notícia e porque para nos ela é tão importante. O Twitter que para alguns mestres e estudiosos de comunicação não é considerado uma rede social, acabou se tornado a maior vitrine virtual do mundo. O que acontece naquele quadrado que você só pode escrever apenas 140 caracteres é como uma ação instantânea, os olhos ficam vidrados, esperando notícias, o que está acontecendo e o que acontece no mundo. Elizabeth Taylor morreu nesta quarta-feira, dia 23/03 e antes de chegar a notícia na TV já sabíamos pelo Twitter o ocorrido.
Um publicitário precisa sempre estar à frente da notícia, quem é o primeiro sempre tem a vantagem na corrida, podemos cometer mais erros, mas seremos lembrados sempre como os primeiros. Você pode ter a sua maneira de receber notícias, seja por fax, e-mail ou sinal de fumaça, mas tenha a sua. Se isso aqui fosse um discurso no meu mundo do Twitter eu já estaria desclassificada e com os meus caracteres só teria tempo de dizer: “@rafinhabastos, o + influente do twitter segundo NYTimes. Publicitários que tem interesse por news precisam estar sempre ligados.”
Um bom final de semana a todos e estejam sempre conectados!

 Por Hellen Oliveira